Será mesmo que precisamos da aprovação dos outros?

Há pessoas que se preocupam tanto com a opinião dos outros, que esquecem de si mesmo. Eu conheço um monte de gente assim, e com certeza você também.


E uma maneira de perceber se a opinião dos outros está afetado a sua vida, é quando você deixa de fazer alguma coisa por causa dos julgamentos alheios.

Será mesmo que precisamos da aprovação dos outros?

Viver a vida em função do que outros vão pensar é um passo para o abismo. Pois a pessoa acaba perdendo sua identidade, e o que realmente ela é, só para ser aceita.


Reprimir nossas vontades por causa dos outros, é como viver numa prisão, presa sem poder ser o que é de verdade.


A grande questão é até que ponto a opinião do outro é relevante para a minha vida.


Na nossa sociedade somos influenciadas pelos outros: pela mídia, pela publicidade, pelas redes sociais.


Queremos ser aceitas, respeitadas e, sobretudo, admiradas.

Está aí as redes sociais para provar isso, só postamos aquilo que vai agradar os outros, coisas ruins, jamais serão postadas.


E até onde vai o limite da aprovação do outro?

No equilíbrio. Saber dosar até que ponto a opinião do outro vai afetar a minha vida.

E não deixar de fazer o que ama, porque alguém não vai gostar.


Se você tem vontade, desejos e sonhos, qual é o problema? Nenhum, todos têm, desde que suas atitudes não machuque ninguém.


Por que se reprimir para agradar alguém e viver a vida infeliz sendo o que não é, e o pior, fazendo o que não gosta.


Às vezes para nos adaptamos a determinadas situações e algumas pessoas deixamos a nossa opinião de lado.


Mas isso não quer dizer que concordamos com tudo. Apenas não queremos argumentar.


O que não podemos, nem devemos é tentar agradar os outros a tudo custo sendo o que não somos.


É preciso ter personalidade.

Tudo é questão de bom senso. É importante ouvir as críticas, algumas servem para nos ajudar a evoluir, ser alguém melhor.


Sabe quando alguém fala: "você deveria parar de fazer isso, e começar a fazer assim, porque vai ser melhor para tua carreira", pode ser uma crítica construtiva.


Nesse caso, é preciso analisar, ver os pontos positivos e os negativos, e tomar sua decisão.


Agora se a pessoa fica só te criticando, falando que tudo que você faz não tem futuro, mas você acredita que tem, e mesmo assim desisti sem ao menos tentar, é loucura.


E como se libertar?

Tenha sensibilidade para perceber o que vale a pena ouvir e o que não vale. Há algumas situações que não podemos ignorar, às vezes dar vontade de mandar todo mundo para o raio que o parta.


Mas… como vivemos em sociedade, precisamos aprender a conviver com todos de forma tranquila. Afinal, somos adultos, não é?


E é por isso, que entra o equilíbrio, filtrar o que relevante, e o que não tem sentindo de ouvir. Muitas vezes ignorar o que os outros falam pode causar isolamento social, rebeldia e arrogância.


Por isso, é preciso dosar bem a opinião alheia, porque nem tudo que falam sobre nós é considerado ruim. Dependendo do argumento de quem fala, ele serve para nos ajudar a melhorar.


Já aquelas pessoas que vive só em função do que os outros falam, é preciso se libertar, parar de ficar na dependência.


Se alguma coisa que você faz não agrada a alguém, o problema não é seu, é da outra pessoa, e pronto.


Quem te ama de verdade vai aceitar você do seu jeito, e se for para mudar que seja porque você quer, não por causa dos outros.


E se você se preocupa demais com a opinião dos outros, comece a refletir porque tanta preocupação à toa.


O que te faz agir assim: aceitação, autoestima, insegurança, ou seja lá o que for. Pare, análise o que tanto te incomoda e reflita se vale a pena, deixa de ser ou fazer algo por conta dos julgamentos alheios.


Quando eu era mais nova me preocupava tanto com bobagens, fazia o que não gostava só para agradar os outros.


Ia para as festas sem vontade, vivia sempre em função do que ia pensar de mim. Era um sofrimento.


Mas ainda bem que o tempo passa e amadurecemos. Hoje em dia aprendi a dizer não, faço apenas o que eu quero. Me libertei.


Em relação as críticas, eu continuo escutando, mas só absorvo o que me faz bem, os comentários negativos, jogo no lixo.


E não deixo de fazer nada por causa dos outros, se estou a fim, faço e pronto. Jamais eu vou me anular por causa de alguém, e aconselho você a fazer o mesmo. É libertador.


Que tal se impor mais?

É claro que mudanças de atitudes não será de uma hora para outra. Mas aos poucos você vai mudando os hábitos, corrigindo as falhas, conhecendo suas qualidades e habilidades.


Se blindando de pessoas tóxicas, se valorizando, se amando. Um segredo é parar de se comparar com os outros, e reconhecer os seus valores.


Observar quais são os gatilhos que te impede de se impor, olhar para si e ter orgulho da mulher incrível que você é.


Lembre-se perfeição não existe, eu não sou perfeita, você também não é. Mas temos nossas qualidades, e é isso o que importa. E quem achar que não temos, problema é deles.


Desenvolva sua autoconfiança

Você precisa confiar em si mesma, acreditar na sua capacidade, pois o medo, a insegurança, e a ansiedade sempre vão existir, e daí, continua.


Só não permita que esses sentimentos te paralise, siga confiante. Se acertar, ótimo, porém, se errar, tudo bem, foi aprendizado.


Já parou para pensar o quanto somos amáveis com os outros? Mas, com nós mesmas somos tão cruéis. Se algo por exemplo, dar errado: “a culpa é minha, não faço nada certo”. Tudo vira motivo para se culpar à toa.


E é por isso, que nos diminuímos, nos sentimos frágeis, para baixo. Deixamos de acreditar em nós mesmas.


E toda essa autodepreciação, a pessoa começa a acreditar que não serve para nada mesmo. Logo, vira um hábito negativo, no qual surge vários conflitos que leva a não ter autoconfiança.


Nem sempre as coisas vai ser do jeito que queremos, algumas vão fugir do nosso controle mesmo.


A grande questão é como controlamos isso na nossa vida? Por meio de autoconhecimento, refletir se vale a pena se estressar, se irritar e saber controlar o seu emocional.


É fácil, não é.

Leva um tempo, sim, leva.

Mas, oh, faz um bem danado para vida.


Nem sempre temos o controle das coisas, mas podemos controlar a nós mesmas. Pense nisso!

Gostou deste post? Então, compartilha com os amigos!



 © 2020. NUTRIDAS. Todos os direitos reservados.
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram