• Wix Facebook page
  • Wix Twitter page

Jejum intermitente: a polêmica dieta

13.03.2017

No mundo da alimentação a cada dia surge uma novidade, seja de forma positiva ou negativa. Uma nova dieta é sempre apresentada ao público, e agrada principalmente as mulheres, são as “dietas da moda”, e já teve de tudo para todos os gostos e estilos. Quem não lembra da dieta da sopa, da lua, do chá, do suco e do tipo sanguíneo?  Essas não são mais as tendências hoje em dia, as que fazem sucesso atualmente são: vigilantes do peso, mediterrânea, paleolítica, detox e a low carb. 

As celebridades também são pioneiras em trazer alternativas um tanto restritivas e muitas vezes polêmicas. Como é o caso da dieta do momento, o jejum intermitente que conquistou adeptas como as atrizes Juliana Paes e Deborah Secco. Além das irmãs e atletas Bia e Branca Feres, que garantem que estão mais saudáveis, leves e sobretudo, mais dispostas. O método de emagrecimento consiste em intercalar períodos de jejum com períodos de ingestão de gordura. Ou seja, o foco e fazer com que o corpo use estoque de gorduras e com isso ocorre uma perda de massa gorda e nesse caso a pessoa emagrece.

 

São indicadas entre 10 a 24 horas sem comer, no qual pode ser feito diariamente ou em alguns dias da semana. Isto é, comer só quando tem fome, será que essa seria a solução para a obesidade? Alguns cientistas dizem que sim, é que muita gente está perdendo peso com o jejum. Mas, vamos entender melhor toda essa questão. Para isso, vamos voltar ao tempo, na época dos nossos ancestrais, o jejum era algo muito comum pois o humano vivia da caça e não tinha acesso aos alimentos o tempo todo. Depois com a evolução das espécies e a chegada da agricultura novas possibilidades foram conquistadas para as pessoas.

 

Com o tempo, essa história de comer apenas quando sentir fome foi deixado de lado. Logo, fomos ensinados a comer de 3 em 3 horas para ter nosso metabolismo acelerado e manter o peso. Médicos, nutricionistas, cientistas alertaram a importância de uma alimentação balanceada e exercícios físicos para emagrecer e ter uma vida saudável. Dessa forma, mudamos nossos hábitos à mesa para ter mais qualidade de vida.                                                                                    

E agora tudo parece ficar confuso novamente, antes de partir para uma atitude radical, é preciso entender bem como funciona o jejum intermitente. Quando ingerimos o alimento, o organismo começa a ir para o destino no qual a energia é absorvida em forma de glicose. Dessa forma, ele ativa o hormônio (insulina) que o responsável por colocar açúcar dentro das células. Portanto, a energia que não será usada é logo armazenada pela insulina em forma de tecido adiposo. Com o tempo essa energia termina e o corpo é forçado a utilizar essas reservas. Além disso, o jejum intermitente junto com glucagon e outros hormônios quebram gorduras que facilitam a perda de peso. Outra questão é que com essa matemática o corpo em jejum não produz insulina, já que não tem glicose para ser metabolizada. Seria uma alternativa para quem pretende controlar a insulina, já para quem tem hipoglicemia esse método não deve ser adotado.

 

Como funciona

Ok, mas nada de fazer por conta própria porque é perigoso para a saúde. Só especialistas como; o nutrólogo, endocrinologistas e nutricionistas podem indicar. É essencial fazer exames antes para ver como realmente está sua saúde. O método 5:2 consiste em ter uma alimentação normal por cinco dias na semana e nos outros dois, ingerir apenas 500 calorias. Nada de industrializados e comer apenas quando tem fome, seguindo uma sequência de jejuns de 16h, 18h e até 23h, revezados com dias de alimentação.

 foto: (reprodução/Instagram)

 

Quem não pode aderir ao jejum

  • Diabéticos

  • Grávidas ou mulheres que ainda estão amamentando

  • Pessoas cardíacas

O jejum intermitente só deve ser realizado para as pessoas que já adotam alguma restrição alimentar. Por exemplo, a dieta low carb (redução de carboidratos refinados) no qual é ingerindo mais proteína e menos gordura. Uma coisa é fato, já ficamos em jejum no período em que estamos dormindo, que também conta nesse método. Agora optar por não tomar café da manhã, nem jantar, para mim já é demais. Sinceramente não ia funcionar comigo, logo eu que acordo faminta, porque a noite como pouquíssimo. Essa dieta de acordo com alguns especialistas não devem ser seguidas por muito tempo, já que é uma decisão sofrida demais. Alguns gurus da alimentação dizem que fazer jejum purifica as células, renova a pele e traz longevidade. Tem até cientista ganhado o Prêmio Nobel por conta do método, como é o caso do biólogo japonês Yoshinori Ohsumi, que por duas décadas dedicou a pesquisa e hoje mostra para o mundo o poder da prática sobre o corpo humano.

 

 

O que o método faz com o organismo

É claro que ficar sem comer a pessoa emagrece, mas para alguns nutricionistas essa prática não faz nenhum bem a saúde. Ficar de jejum por mais de 5h é prejudicial, pois nosso organismo não recebe energia da alimentação. Logo vai buscar nas reservas de glicose, e quando a reserva acaba começa a usar os músculos para ter energia e nesse caso provoca a perda da massa muscular. Quem defende o jejum explica que isso só ocorre quem tem o hábito de fazer diariamente. De fato existe um grande número de pesquisas científicas indicando que comer pouco, faz bem para a saúde. Agora não comer nada, aí é exagero.

 

A preocupação atual são os riscos para a saúde, além dos transtornos alimentares. De acordo com a nutricionista e autora do livro O Peso das Dietas, Sophie Deram, passar fome é um dos maiores estresses para o cérebro. Concordo com a especialista, celebridades vivem da imagem, fazem qualquer coisa para estar bem, ganham com isso. Ficar muito tempo sem comer prejudica todo o metabolismo, pular refeição para conquistar um corpo perfeito, sinceramente estou fora. Minha saúde vale mais, já fui adepta de loucuras na juventude e nada que eu fiz trouxe benefícios. Dietas da moda não funcionam, o que emagrece mesmo são mudanças de hábitos, comer bem, comida de verdade e fazer exercícios físicos. Sem radicalismo, além disso, manter uma dieta desse estilo é difícil ao longo prazo. A pessoa pode até emagrecer, mas a partir do momento que voltar a comer normal, engorda novamente. O ideal é aprender a se alimentar de forma saudável todos os dias. Se você quiser saber mais sobre esse tema, indico o livro da Sophie Deram é maravilhoso, vale a pena ler. Até o próximo post.

 

 

Please reload