• Wix Facebook page
  • Wix Twitter page

Os perigos da pré-diabete

07.05.2018

A pré-diabete é um dado alarmante, de acordo com os especialistas, um terço da população brasileira estar com os níveis de açúcar no sangue acima do normal. E o pior, muitos nem sabem disso, por se tratar de uma complicação assintomática (sem sintomas) a pessoa pode passar meses e até anos sem sentir nada.

 

E é aí que mora o perigo, se não for tratada o quanto antes, necessita de cuidados e mudanças nos hábitos para não evoluir para o diabete tipo 2. O ideal é fazer exames periódicos para avaliar como está a saúde.

 Foto: Pixabay

Com o diagnóstico precoce é muito mais fácil de tratar. E para ficar longe dessa doença é fundamental mudar o estilo de vida, e o primeiro passo começa pela alimentação. Manter uma dieta equilibrada com baixas calorias, a base de carne magras; peixe e frango.

 

Investir em saladas à vontade com legumes, folhas, oleaginosas, sementes de chia e linhaça. Não exagerar no consumo de carboidratos refinados, que elevam os índices de açúcar no sangue. Evitar gorduras e doces em geral, dando preferência as frutas pois elas são mais nutritivas.

 

Mas não basta apenas cuidar da alimentação é preciso fazer exercícios físicos também. Pessoas que se alimentam mal e são sedentárias correm o maior risco de desenvolver a pré-diabete.

 

Outro agravante é a obesidade, isso porque toda a gordura localizada no abdômen – pode provocar uma resistência à insulina, no qual há um bloqueio do hormônio para a entrada da glicose. Em meio a isso, o pâncreas começa fabricar mais insulina, e em excesso prejudica o órgão. Fatores genéticos podem estar associados a pré-diabete.

 

Como monitorar

O médico solicita exames de sangue para analisar a glicemia em jejum. Se a glicose estiver acima de 125 mg/dl a pessoa já é diabética. Porém, se ficar entre 100 e 125 mg/dl está pré-diabética. Mas, se a glicose estiver abaixo de 100 mg/dl não é diabética.

 

O exame precisa ser realizado anualmente em pessoas saudáveis, para quem tem a pré-diabete a recomendação são a cada três meses. 

 Foto: Pixabay

Como tratar

Depois que descobre a pré-diabete, nada de pânico, até porque tem tratamento, e um deles é mudar os hábitos. Além de dieta balanceada, atividade física o médico pode prescrever medicamentos. É preciso ter esses cuidados e tomar os remédios no começo para o problema não evoluir.

 

Quais exercícios são mais indicados

O ideal é apostar na junção de atividades aeróbicas com anaeróbicas, por exemplo, caminhada + musculação ou dança + pilates. Praticar cinco vezes por semana, isso ajuda a perder gordura e ganhar músculos – logo reduz a resistência à insulina.

 

Quando vou poder comer doces novamente

O ideal era que nunca (mas sem radicalismo), a primeira coisa é se preocupar com a saúde, porque qualquer descuido as taxas sobem novamente. Isso não quer dizer que a pessoa jamais vai poder saborear um pedacinho de bolo, mas no momento do tratamento é imprescindível ficar longe dos doces. Lembrando que mudar os hábitos é para vida toda e não apenas alguns meses ou anos.

Artigos relacionados:

 

4 razões para abandonar o açúcar do cardápio 

 

Invista em alimentos coloridos

 

 

 

 

Please reload