• Wix Facebook page
  • Wix Twitter page

Quando o prazer vira compulsão

11.05.2018

Vivemos em uma sociedade consumista, imediatista e que adora se exibir, afinal, do que adianta ter algo e não poder mostrar. Com isso, surge um estímulo ao exagero como: comprar, comer, se exercitar, navegar na internet e fazer sexo. Algo que até então era para ser prazeroso, está se tornando uma compulsão.

Foto: Pixabay 

O excesso do dia a dia

De acordo com os especialistas; comer, malhar, trabalhar, transar, comprar, ficar na internet, por exemplo, faz parte do cotidiano das pessoas. Mas quando há um excesso em realizar essas atividades ou quando vira o centro de tudo pode ser o início de uma possível compulsão.

 

Quando por alguma razão específica algo deixa de ser divertido e prazeroso e se torna obsessivo é preciso se cuidar. Muita gente para fugir de uma realidade, buscar autoafirmação ou se esconde de algo frustrante na vida, e começa a adotar pensamentos compulsivos.

 

Algumas pessoas malham demais, chegando até se lesionar ou descontam qualquer problema na comida, e com isso, desenvolvem transtornos alimentares – bulimia e anorexia. Outros casos são aquelas que não podem ter nenhuma contrariedade que logo vão estourar o cartão de crédito.

 

Eu, por exemplo, já fui muito compulsiva com o corpo, vivia dentro de uma academia e detestava malhar, ia para agradar os outros e não a mim mesma. Resultado: lesionei o joelho, fora as dietas malucas que fazia na época, desenvolvi transtornos alimentares, além da disfunção de imagem (olhava e não enxergava quem estava ali).

 

Foram anos assim, mas reconheci o problema, procurei ajuda e percebi que nada disso tinha importância, que a minha saúde vale mais. Atualmente me amo do jeito que eu sou e quem quiser gostar de mim ótimo, quem não quiser, tudo bem. Hoje vivo uma vida equilibrada, cuido da minha alimentação sem exageros, nem radicalismo, faço exercícios, e sou muito feliz com o meu corpo.

 

Às vezes queremos nos encaixar nos padrões inatingíveis da sociedade. E quando percebemos o quão feliz podemos ser com nós mesmas é maravilhoso. As redes sociais também tem um impacto sobre isso, parece que só tem um único perfil: mulheres saradas de biquíni, e para quem anda frustrada com o próprio corpo isso pode ser tornar tanto inspirador quanto compulsivo.

 

Ou seja, a pessoa fica tão obcecada para ter o mesmo padrão que desenvolve hábitos obsessivos. E esquece de um detalhe importante, aquela imagem do Instagram às vezes não é real, teve photoshop. Portanto, não se iluda com que ver nas redes sociais. 

 

Compro, logo existo

Comprar é uma delícia qual mulher não gosta, o problema é quando tudo vira motivo para gastar. Existem pessoas que compram exageradamente o que ver pela frente e muitas vezes nem estão precisando. É como se fosse um prazer momentâneo, quando o efeito passa vem a decepção, além das contas. O consumo compulsivo é um problema que atinge cerca de 50% da população mundial, e as mulheres são as mais susceptíveis. 

Foto: Pixabay 

Ciúme ou cuidado

Vamos combinar que um pouquinho de ciúme é até natural em algum momento. O erro está nos excessos aí sim, envenena a relação, a insegurança junto com o medo dão margem aos ciúmes exagerados, isso é totalmente diferente do cuidado. Quem cuidar zelar pelo outro, pessoas ciumentas demais se tornam egoístas e possessivas, logo fica difícil manter uma relação com alguém assim por muito tempo.

 

Como se livrar das compulsões

  • A primeira coisa a fazer é reconhecer que tem um problema, ter coragem e buscar ajuda médica. Há diversos grupos de apoio voltados para tratar diversas compulsões especificas;

  • Entender quais as causas do transtorno ajuda a melhorar, eu por exemplo, era autoafirmação achava que se não fosse de um jeito não ia me inserir na sociedade. Mas, existem várias outras, por exemplo, história de vida, personalidade, estresse, ansiedade, depressão, hereditariedade;

  • Manter se longe das tentações, evitar ficar checando as redes sociais o tempo todo, fazer outras atividades nos quais preencha o tempo, ler, praticar exercícios físicos, assistir bons filmes, ouvir música, sair com os amigos;

  • Para quem gosta de comprar, a dica é tenha apenas um cartão de crédito e sempre pergunte antes de consumir “estou precisando, vou ter como pagar?”

  • Adote hábitos saudáveis na sua rotina, tenha uma alimentação equilibrada e pratique esportes sem exagero;

  • Escolha algo relaxante para sua vida pode ser: meditação, yoga, pilates e música;

  • Por fim, não viva para agradar os outros, essa sim, é uma das maiores frustrações.

Artigos relacionados:

 

Confie mais em você

 

Os caminhos para a felicidade

 

 

 

 

 

 

 

Please reload