© 2017- 2019  NUTRIDAS. Todos os direitos reservados.
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Wix Facebook page
  • Wix Twitter page

Por que é importante comer menos carne

17.09.2018

Atenção fãs de carnes está na hora de repensar suas preferências à mesa, sem radicalismo. O objetivo é consumir bifes, picanhas, costelas e hambúrgueres com moderação. Há diversos estudos revelando que pessoas que comem exageradamente carne vermelha têm maiores chances de desenvolver doenças cardiovasculares.

Além de câncer, infarto, derrame e colesterol alto, todas essas doenças estão associadas com os maus hábitos de vida. Indivíduos que fumam, bebem demais bebidas alcoólicas, não praticam exercícios, são estressados e se alimentam mal estão mais susceptíveis a ter essas complicações.

 

Por isso, a dieta precisa ser baseada em nutrientes: frutas, legumes, verduras, peixe, frango e oleaginosas. Adeptos da comida semivegetariana (só consomem 30% dos alimentos de origem animal) tem menos risco de ter complicações ao longo da vida, bem diferente dos carnívoros.

 

Já os veganos que não comem nada de carne, frango ou peixe raramente tem problemas de saúde. Eles seguem uma filosofia de vida contra qualquer coisa que venham dos bichos, isso inclui também roupas de couro e cosméticos testando em animais.

 

Ninguém deve eliminar a carne, da noite para o dia e virar vegetariano. A sugestão não é proibir, mas orientar sobre os riscos de consumir carnes e embutidos: salsicha, calabresa, mortadela, presunto, salame e toscana de forma exagerada.

 

Tanto a carne quanto os industrializados são ricos em gorduras saturadas, que são ruins para a saúde. Os embutidos por sua vez contém muitos conservantes no qual contribuem para o desenvolvimentos de tumores.

O ideal é jamais se exceder ½ quilo de carne por semana.

 

Um pedaço na palma da mão é o suficiente, outra alternativa é variar a alimentação com frango, peixe e ovos. Não há nada de mal em comer um bife em vez quando, até porque ele tem seus benefícios, como a vitamina B12, proteína e ferro.

 

Para quem não quer abrir mão da carne vermelha, escolha opções frescas e cortes magros como: lagarto, filé mignon, maminha, coxão mole e coxão duro. Na hora de preparar o alimento, evite fritar, prefira sempre opções grelhadas, assadas e cozidas.

Artigos relacionados:

 

Por que a dieta mediterrânea traz benefícios à saúde

 

Os malefícios da gordura trans para a saúde 

 

Please reload